Sistema de tratamento entregue pela Funasa vai garantir água potável para mais de nove mil pessoas no Amazonas

Na manhã desta sexta-feira, 13 de abril, a Fundação Nacional de Saúde (Funasa) entregou 90 unidades da Solução Alternativa, Coletiva, Simplificada de Tratamento de Água para Consumo Humano (Salta-Z) para dez municípios do Amazonas. A medida vai garantir água potável para cerca de 9,5 mil pessoas no interior do Amazonas.

Ao todo, 38 comunidades foram beneficiadas. De acordo com o superintendente da Funasa no Amazonas, Wenderson Monteiro, o investimento do órgão federal para esta ação foi de R$ 1,6 milhão. A solenidade de entrega e assinatura do Termo de Cooperação Técnica com os prefeitos aconteceu no no Centro de Convenções Vasco Vasques e contou com a presença do secretário de Estado da Produção Rural, José Aparecido, e do presidente da Associação Amazonense de Municípios (AAM), Andreson Cavalcante.

“Para cara R$ 1 investido em saneamento, nós economizamos R$ 5 em saúde. É com essa proposta em mente que a Funasa vem desenvolvendo ações para garantir água de qualidade para as pessoas do amazonas. A iniciativa será de fundamental importância para às comunidades ribeirinhas que não possuem água tratada, reduzindo assim problemas de saúde nas localidades”, afirmou Wenderson.

Os municípios beneficiados foram Barreirinha, Urucará, Anori, Nhamundá, Careiro, Beruri, Borba, Careiro da Várzea, Jutaí e Anamã. Com a implantação do Sistema, o Amazonas segue os passos para a universalização do saneamento básico, recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

O secretário José Aparecido falou que o Governo do Amazonas, principal parceiro da Funasa nesta operação, se prepara para adquirir os mesmos equipamentos para reforçar o sistema no Estado. “Nosso governador sabe da importância de levar água tratada para o interior e já se movimenta para também levar o sistema para o interior”, garantiu.

Sistema – A Salta-Z, é uma tecnologia tradicional com baixo custo de implantação capaz de realizar o tratamento do recurso hídrico em água superficial e subterrânea para o consumo humano, compatível com os padrões de potabilidade estabelecidos pela Portaria nº 2.914/11, do Ministério da Saúde.

(55)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

}