Início AMAZONAS Após protestos de caminhoneiros, aulas são retomadas e 100% da frota de ônibus circula em Manaus nesta segunda-feira
Após protestos de caminhoneiros, aulas são retomadas e 100% da frota de ônibus circula em Manaus nesta segunda-feira

Após protestos de caminhoneiros, aulas são retomadas e 100% da frota de ônibus circula em Manaus nesta segunda-feira

28
0

A segunda-feira (28) começou com a circulação da frota de ônibus de Manaus normalizada e com as aulas da rede pública municipal, que foram suspensas na sexta-feira (25), retomadas. Protestos de caminhoneiros, contra o valor do diesel, ocorreram na capital e impactaram vários setores durante a última semana.

Caminhões foram vistos circulando nas ruas de Manaus, sem escolta, nesta segunda. No dia anterior, a categoria fez uma carreata e bloqueou uma avenida na Zona Oeste em protesto contra o valor dos combustíveis.

Atos também ocorreram nas ruas que dão acesso às refinarias da capital, que abastecem todo o estado. As vias seguem desbloqueadas desde a sexta-feira.

Postos, que foram abastecidos durante o fim de semana, já comercializam combustíveis.

Em todo o pais, caminhoneiros fizeram manifestações e bloqueios ao longo da última semana. Em Manaus, um grupo de caminhoneiros impediu a saída de caminhões tanque de refinarias no Distrito Industrial. Eles saíram do local, após receberem uma ordem judicial, na noite desta sexta-feira (25). O ato gerou desabastecimento e filas em postos de combustíveis.

Veja os principais reflexos da paralisação no estado:

Combustível

Com medo do desabastecimento, motoristas chegaram a fazer filas em postos para garantir o combustível desde a noite de quinta-feira, quando o litro da gasolina comum chegava a R$ 4,89, enquanto a aditivada estava a R$ 4,99.

Transporte

De acordo com o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram), a capital tem cerca de 1,3 mil coletivos, 100% deve circular, segundo sindicato.

Alimentos

Não ocorreu desabastecimento por conta greve. O Sindicato dos Feirantes do Amazonas informou que 80% dos alimentos chegam a Manaus de outros estados.

Os preços das verduras, legumes e frutas pagos aos fornecedores pelos comerciantes dispararam nos últimos dias em Manaus. O motivo: a falta de estoque. O abastecimento desses alimentos, que são fornecidos por estados das regiões Sudeste e Centro-Oeste, tem reduzido com a greve dos caminhoneiros.

A previsão dos comerciantes é que a oferta de alguns itens sofra impacto e reajustes sejam repassados ao consumidor amazonense, a partir desta segunda-feira (28).

Educação

As aulas foram suspensas em quase 500 escolas da rede municipal de ensino de Manaus, na sexta-feira e normalizadas nesta segunda. A Universidade do Estado do Amazonas (UEA) informou que as atividades também foram suspensas.

Comércio

Uma rede de supermercados orientou consumidores a comprar até cinco unidades de cada produto para evitar desabastecimento em Manaus. Cartazes com o comunicado alertam sobre a medida, que ocorre em razão dos impactos da greve de caminhoneiros.

(28)

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

}