Rodoviários de Manaus ignoram determinação da Justiça e confirmam greve para esta terça, e o lance aqui NÃO É o “Diesel”

MANAUS – Mesmo com a determinação do Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região (TRT-11) para que os rodoviários não realizassem greve no transporte coletivo nesta terça-feira (29), o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários e Urbano Coletivo de Manaus e no Amazonas (STTRM), Givancir Oliveira, confirmou que a entidade vai paralisar, por tempo indeterminado, de 50 a 70% da frota do sistema público a partir das 4h de amanhã.

Oliveira informou que o percentual de ônibus que não circulará na cidade será definido na hora pela categoria. Ainda segundo ele, o motivo da greve geral é o reajuste salarial da convenção coletiva 2018/2019. “Essa é a nossa pauta de reivindicação. Até agora ninguém foi atendido então vamos parar. A paralisação será por tempo indeterminado”.
No último sábado (26), a desembargadora do TRT-11, Ruth Barbosa Sampaio, determinou em liminar que, em caso de descumprimento da ordem judicial, o Sindicato dos Rodoviários poderá ser multado em R$ 30 mil por hora de paralisação, além da configuração do crime de desobediência. Por fim, a magistrada determinou o uso de forças policiais para cumprir a liminar, caso haja necessidade.
Na última terça-feira (22), os rodoviários haviam mantido aviso de greve da categoria para o dia seguinte mesmo com uma decisão TRT-11 proibindo o ato. O motivo da greve geral é o reajuste salarial da convenção coletiva 2018/2019.
O transporte coletivo de Manaus opera com nove empresas, em 229 linhas, e transporta em média 750 mil pessoas por dia.
Fonte: A Crítica

(346)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

}