Álvaro Dias afirma que gostaria de Miguel Reale Junior como vice

senador Álvaro Dias, pré-candidato à Presidência pelo Podemos, afirmou na noite desta segunda-feira (30) que gostaria de ter o jurista Miguel Reale Junior como vice em sua chapa. Ele ressaltou, no entanto, que o partido deve fechar coligação e que o nome para a vaga será decidido por aliados.

“Provavelmente teremos coligação e o nome do vice será indicado por aliados”, afirmou em entrevista ao programa Central das Eleições, da Globonews.

Dias não citou com quais partidos têm negociado. O Podemos mantinha conversas com o PRB, que acabou inclinando-se para a candidatura do tucano Geraldo Alckmin. A convenção nacional do Podemos está marcada para este sábado (4).

Ele negou, mais uma vez, a possibilidade de se tornar vice de Alckmin, dizendo que isto seria uma incoerência.

Miguel Reale Junior foi um dos autores de um dos pedidos de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT). A advogada Janaína Paschoal, coautora do pedido, negocia a vice na chapa de Jair Bolsonaro (PSL).

Durante o programa, questionado sobre suas diversas passagens por partidos, o senador afirmou que mudou para manter a coerência. Ele também defendeu o que chama de refundação da República, rompendo com o modelo de balcão de negócios da política atual.

Dias ressaltou que considera o presidente o grande corruptor, enquanto os parlamentares seriam coadjuvantes. Por isso, diz acreditar que poderia governar de forma diferente.

O senador voltou a defender a reforma tributária e o corte de ministérios, como o da Pesca e o das Cidades.

Questionado se o senador Romário (Podemos), pré-candidato ao governo do Rio de Janeiro, seria alguém indicado para construir esta nova política, Dias disse que cabe à população do Estado decidir e que não pode ser preconceituoso.

“Ele tem desempenhado um bom papel no Congresso. É determinado, corajoso”, afirmou.

Sobre uma suposta tentativa de ocultação de patrimônio por parte de Romário, o senador respondeu que não cabe a ele avaliar. “Não sou da Receita Federal, da Justiça. Não fui investigar as contas dele.”

Dias afirmou, no entanto, que conversou com Romário sobre assunto. O ex-jogador teria dito que adquiriu o patrimônio de forma lícita, por meio dos ganhos no futebol, e que transferiu os recursos para familiares. Com informações da Folhapress.

(36)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

}