Combate ao sarampo precisa de ações articuladas para evitar uma epidemia, diz Sidney Leite

Com a morte da 4ª vítima de sarampo no Amazonas, o deputado estadual Sidney Leite (PSD) cobrou uma ação mais articulada, organizada e coordenada entre o Governo do Estado e os municípios com o intuito de evitar que o surto da doença se transforme em uma epidemia.

No pronunciamento desta quarta-feira, 29, na Assembleia Legislativa do Amazonas (ALEAM), o parlamentar mostrou que, dados da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas apontam que, nos últimos meses, foram notificados 8.595 casos, no Estado, distribuídos em 45 municípios.

Os municípios com o maior número de notificações são Manaus, com 6.958 casos e Manacapuru, com 911.

“É necessário uma ação firme e articulada para garantir a cobertura vacinal, mas também para esclarecer a população sobre a doença. Se providências não forem tomadas de forma urgente, outras pessoas virão a óbito”, esclareceu.

No último fim de semana, em visita a comunidades da estrada que liga Manaus a Manacapuru (100 km de Manaus), Sidney Leite encontrou com moradores que apresentavam sintomas característicos da doença e foi questionado sobre essa cobertura vacinal que ainda não chegou nas comunidades. “Para quem não sabe, em uma hora, quarenta pessoas podem ser infectadas. O volume e a velocidade de infecção dessa doença é muito grande. Por isso precisamos de ações que efetivamente possam frear o avanço do sarampo”, desabafou.

ENFIM, TOMOGRÁFOS!

O deputado Sidney Leite informou também os tomógrafos do Hospital e Pronto Socorro João Lúcio e do Hospital e Pronto Socorro 28 de Agosto (HPS) voltaram a funcionar, conforme dados divulgados pela Secretaria de Estado de Saúde (SUSAM).

“A espera e a expectativa da população pelo funcionamento de um tomógrafo do João Lucio e 28 de agosto era grande. Torcemos para que não apenas volte a funcionar como volte a funcionar em sua plenitude, porque as pessoas precisam. Torço para que dê certo”, concluiu.

(10)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *