“A educação é o único caminho para o desenvolvimento do Amazonas”, diz David, em debate

Durante o debate da TV Em Tempo/SBT Manaus, realizado na noite dessa terça-feira (11), o candidato ao governo do Estado pela coligação Renova Amazonas, David Almeida (PSB), defendeu que a educação é o único caminho para o crescimento de uma sociedade. Entre os vários temas debatidos nas áreas de saúde, segurança pública, emprego e renda, interior do Estado, a educação foi o principal foco do candidato.

“A educação não é o melhor caminho para o crescimento de uma sociedade, eu acredito que é o único caminho. Por isso, na minha administração, o professor, o aluno e os demais profissionais da educação terão a atenção necessária para que o Estado do Amazonas alcance os melhores índices nacionais na educação”, assegurou o candidato. David observou que os atuais índices da educação no Amazonas mostram a falta de compromisso do atual governador com o setor.

David ressaltou, como uma das propostas do seu Plano de Governo voltado para a educação, buscar a parceria com as empresas instaladas no Polo Industrial de Manaus (PIM) – que recebem incentivos do Estado -, para que entrem no programa “Adote um escola”, e dessa forma, ajudem a dotar essas unidades de ensino, de infraestrutura e condições para oferecer educação de maior qualidade aos alunos.

“Até hoje a educação não foi valorizada como deveria. Temos como uma de nossas propostas, construir essa parceria com empresas do distrito industrial, para que elas adotem uma escola e assim, possam contribuir para um melhor ensino e aprendizagem. Dessa forma, vamos conseguir alcançar melhores índices nacionais de desenvolvimento da educação, além de dar aos nossos jovens melhores oportunidades”, pontuou.

David lembrou, ainda que, quando esteve governador interino, no período de maio a outubro de 2017, abriu a caixa preta do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) e pagou abono aos professores e pedagogos da ativa, valores que variaram de R$ 7 mil a R$ 20 mil. Ele lembrou que os governos anteriores nunca tomaram essa iniciativa e, no máximo, deram tablets de segunda a terceira linha, ao invés de pagar o benefício – que é direito destes profissionais.

“Apenas cumpri a lei e sei que pude ajudar muitas famílias. Pagamos o maior abono da história da educação aos professores amazonenses. Isso nenhum outro governante tinha feito antes, e nós apenas cumprimos a legislação. Abrimos a caixa preta do Fundeb. A nossa proposta é de valorização do profissional da educação, professores, pedagogos e administrativos, dando estrutura para que o ensino possa ser melhor ofertado no nosso Estado.”

*Desenvolvimento*

Ainda no debate, David salientou a proposta de desenvolvimento para o interior do Estado, por meio do programa de Zoneamento Econômico Ecológico, com atenção especial ao interior do Amazonas. Segundo ele, o zoneamento, parte do princípio de identificar as áreas produtivas e os respectivos municípios para fortalecer a produção de alimento do Estado, respeitando a floresta e garantindo a criação de emprego e renda para as famílias dos municípios. Como exemplo, ele apontou a produção de açaí em Anori e Carauari, que hoje é comprado e beneficiado por uma empresa do estado de Goiás, mas que poderia estar gerando empregos no Amazonas.

Com esse programa, segundo David, o Amazonas vai se tornar um dos maiores produtores de alimentos do mundo. Mas lembrou que, para isso, é preciso trabalhar o asfaltamento de ramais, vicinais – como ele começou a fazer no seu governo interino – e, principalmente, da BR 319, que liga Manaus a Porto Velho (RO).

“Precisamos explorar as potencialidades do interior, e isso pode ser feito unicamente pelo Zoneamento Econômico Ecológico. Eu deixei pronta uma proposta do zoneamento, mas o atual governador mandou vetar no orçamento a emenda que faria no interior esse zoneamento. Precisamos asfaltar os ramais e vicinais e, quando estive governador, eu dei ordem de serviço para asfaltar mais de 400 quilômetros de estradas e vicinais, dando ao produtor, ao agricultor, a condição necessária para ele produzir e ter como escoar a sua produção. Queremos transformar o estado do Amazonas em um dos maiores produtores de alimento nacional e internacional”, salientou David.

(6)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

}