Candidatos se revoltam com Amazonino

Candidatos que disputam uma vaga na Assembleia afirmam que foram jogados n’água pelo governador Amazonino Mendes, candidato à reeleição. Tanto membros da base governista como novos quadros que tentam uma cadeira na ALE/AM sustentam que não obtiveram os recursos prometidos, e acumulam dívidas. “Vou lutar com todas as minhas forças para ele nunca mais voltar ao poder”, disse Rosana Frota, candidata à deputada estadual e até pouco tempo atrás fã número 1 de Amazonino nas redes sociais.

#ElesNão   Articuladíssima nas redes sociais, Rosana Frota, que é do PPS, partido aliado de Amazonino, convocou simpatizantes ontem a abraçar a campanha “não reeleição” de qualquer candidato. Ela cita expressamente que está “fora” da campanha de Amazonino.

Insurreição “Não compactuo com roubo, não compactuo com safadeza, não compactuo com pessoas que prometem e não cumprem”, disse Rosana em vídeo no Instragram, onde é acompanhada por 183 mil seguidores. Ao SIM&NÃO, ela sustentou que rompeu com Amazonino “porque ele não cumpre o que promete”.

Resignação   Entre os candidatos a deputado há outros decepcionados com o governador que ainda não tornaram pública a frustração, mas estão prestes a fazê-lo. Defensores de Amazonino na ALE/AM dizem que correm o risco de não se reeleger por falta de apoio. Muitos afirmam que sequer são atendidos na “residência do Tarumã”.

Limites  A coluna procurou a campanha de Amazonino para tratar da falta de apoio a candidatos proporcionais e obteve a seguinte resposta: “A coligação proporcionou material conjunto para os proporcionais. Mas há limitação legal para impressões. Maiores que nas eleições anteriores. Um fato”.

 

 

Fonte: A Crítica

(625)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

}