Brasil pode renegociar dívida da Venezuela se Guaidó assumir o governo, diz Araújo

O governo brasileiro analisa renegociar parte da dívida venezuelana no caso do autoproclamado presidente interino, Juan Guaidó, assumir efetivamente a Presidência, inclusive com a possibilidade de um encontro de contas com o que o Brasil ainda deve à Venezuela pela energia usada por Roraima, admitiu nesta sexta-feira o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo.

Araújo admitiu que a situação da dívida brasileira com a Venezuela ainda não foi resolvida. O país deve cerca de 30 milhões de dólares ao governo venezuelano pela energia usada por Roraima, único Estado que não é ligado ao sistema elétrico nacional.

A dívida é causada pela dificuldade dos bancos brasileiros operacionalizarem a transferência, já que o embargo norte-americano à Venezuela impede a operação de bancos estrangeiros com o país e impõe sanções para operar nos EUA aos que quebrarem a regra.

Do outro lado, a Venezuela deve cerca de 800 milhões de dólares ao governo brasileiro, principalmente em empréstimos feitos junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para financiamento de obras no país e de importações.

O governo deve criar um grupo interministerial para discutir alternativas de ajuda à Venezuela, e a questão da dívida seria um dos pontos.

“A idéia seria reunir esforços de diferentes áreas. Uma das questões da discussão seria a questão da dívida da Venezuela, mas ainda não temos propostas concretas sobre esse tema”, disse Araújo em uma longa entrevista nesta sexta-feira.

Ao ser questionado sobre a questão da energia de Roraima, admitiu que poderia ser feito um encontro de contas e que isso chegou a ser proposto a Maduro anteriormente, que não aceitou.

(7)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com