Corrupção: Depois de aplicar golpe do atestado falso, vereador que é servidor da prefeitura de Envira é suspenso e obrigado a devolver pagamento indevido

A Câmara Municipal de Envira continua sendo alvo dos holofotes na cidade graças ao vereador Izequiel Lourenço Maia, que de acordo com alguns colegas parlamentares, recebeu diárias indevidas por parte do poder Legislativo, entre os dias 20 de maio e 6 de junho deste ano. Desta vez, o caso ganhou ainda mais força, uma vez que, na tentativa de punir o vereador, que também é servidor concursado da prefeitura, o executivo municipal abriu inquérito contra o funcionário, condenando-o a suspensão de dez dias sem remuneração e a devolução do valor recebido durante a licença.

Apesar das denúncias e das medidas adotadas pela prefeitura, o presidente da Casa, Raimundo Lira de Castro vêm fazendo vista grossa sobre o caso e não se manifestou contra a irregularidade do colega. De acordo com a denúncia, Izequiel recebeu diárias indevidas por parte do poder Legislativo, entre os dias 20 de maio e 6 de junho deste ano.

O problema é que o vereador, que também é servidor efetivo da prefeitura de Envira, apresentou atestado médico 15 dias ao poder executivo no dia 20 de maio, período em que se afastaria para se tratar na capital e de fato o vereador passou o período de licença em Manaus, porém o presidente da Câmara assinou uma portaria liberando diárias no valor de R$ 375 ao parlamentar, pelos 18 dias de serviços executados fora do município, totalizando R$ 6,75 mil em recursos extras para o vereador, por supostamente estar a serviço da Casa, inclusive em Rio Branco, no Acre.

Já foram pedidas providências sobre a situação, por meio de ofício, sobre o vereador ter apresentado atestado médico para não precisar prestar seus serviços à prefeitura de Envira apenas para receber as diárias, o que teria o consentimento do presidente da Câmara.

As denúncias sobre o problema se ampliam no município, o que pode chamar a atenção do Ministério Público do Amazonas. O ato do vereador poderá render pedido de afastamento por quebra de decoro parlamentar, uma vez que adotou conduta irregular para receber recursos indevidos.

A reportagem tentou contato com os citados na matéria, porém não obteve nenhuma resposta até o momento.

(6)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com