Amazonas em sexto lugar entre os Estados com maior número de mortalidade infantil

Manaus – Mesmo com a queda dos níveis de mortalidade infantil, de 17,7 para 17,2 a cada mil nascimentos, entre 2017 e 2018, o Amazonas se mantém como o sexto Estado com a maioria dos casos de óbitos antes de um ano de idade. O mesmo desempenho ocorreu com o aumento da expectativa de vida, que subiu de 72,1 para 72,4 anos, mas manteve o Amazonas com a sexta menor posição dos Estados. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (28) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), referentes à Tábua de Mortalidade 2018.


No Amazonas, a taxa de mortalidade infantil foi 17,2 para cada mil recém-nascidos (Foto: Reprodução)

Os resultados do estudam servem para balizar a situação da Previdência Social, especialmente com o aumento da expectativa de vida. Os dados da projeção oficial de mortalidade 2018, divulgados nesta quinta-feira, pelo IBGE, mostram que a diminuição da mortalidade infantil e aumento da expectativa de vida é, no entanto, uma tendência nacional. No Brasil, em 2017, a taxa de mortalidade infantil era de 12,8, decrescendo para 12,4 óbitos, e a expectativa de vida aumentou de 76 para 76,3 anos de idade.

Apesar da diminuição da mortalidade infantil e do aumento da expectativa de vida ao nascer, no Estado, a projeção 2018 revela que o Amazonas ocupa a sexta posição entre as Unidades da Federação com maior número de mortalidade infantil (17,2 óbitos a cada mil recém-nascidos não completam o primeiro ano de vida); o Amazonas também possui a sexta pior expectativa de vida ao nascer dentre as Unidades da Federação (72,4 anos). Para os indivíduos de 60 e 65 anos, do Amazonas, a expectativa de vida é, respectivamente, a terceira e quarta mais baixas entre os Estados brasileiros: 20,6 e 17 anos.

A Tábua de Mortalidade 2018 refere-se à projeção oficial da população do Brasil para o período 2010-2060, e permite que se conheçam os níveis e padrões de mortalidade da população brasileira, tendo sido utilizada como um dos parâmetros necessários na determinação do chamado fator previdenciário para o cálculo dos valores relativos às aposentadorias dos trabalhadores que estão sob o Regime Geral de Previdência Social.

Mortalidade infantil

No Amazonas, a taxa de mortalidade infantil foi 17,2 para cada mil recém-nascidos, conforme a metodologia da Organização Mundial de Saúde (OMS). A mortalidade das crianças menores de um ano é um importante indicador da condição socioeconômica de uma região, e com essa taxa, o Amazonas ocupa a sexta colocação entre os Estados com maior número de mortalidade infantil, ficando atrás do Amapá (22,8), Maranhão (19,4), Rondônia (19,2), Piauí (18,0) e Alagoas (17,3).

O Brasil apresentou uma taxa de 12,4 óbitos de crianças menores de 1 ano para cada mil nascidos vivos.

(1)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com