Prefeitura dará atenção para Distrito Industrial na gestão de David e Marcos Rotta

O candidato a prefeito de Manaus, David Almeida (Avante), reafirmou o compromisso de tornar a Prefeitura protagonista nos debates e nas ações de infraestrutura para a Zona Franca de Manaus (ZFM). Segundo ele, a cidade vê hoje as ruas do Distrito Industrial abandonadas pelo Poder Público, com pistas esburacadas e sinalização precária. A afirmação do candidato da coligação Avante Manaus seu deu durante visita à empresa Yamaha, no Distrito Industrial I, Zona Sul.

“A Prefeitura de Manaus é hoje omissa em relação à ZFM, que representa 95% da sua arrecadação. O Poder Executivo municipal precisa se dedicar mais ao Polo Industrial de Manaus (PIM), com mais atenção à infraestrutura, principalmente das vias do Distrito Industrial. Essa é uma das principais demandas dos investidores para que elas possam continuar, com mais afinco, gerando riqueza e em empregos para a nossa gente”, disse David.

David alertou que, enquanto o governo federal prorrogou os incentivos federais até 2073, os incentivos estaduais vencem em 2023 e até agora o Estado não se manifestou em relação a essa pauta, que gera insegurança nos investidores. “A Zona Franca foi prorrogada apenas pelo governo federal, por mais cinco anos, mas agora se acende uma luz vermelha sobre os incentivos estaduais, que geram insegurança jurídica aos empresários que investiram no Polo Industrial de Manaus”, avaliou o candidato.

Para o candidato, bem mesmo antes dessa preocupação a respeito dos incentivos estaduais, a prefeitura precisa atuar fortemente junto à ZFM, como protagonista no debate e nas ações que fortaleçam a presença das marcas que já estão em Manaus, gerando empregos, e que também atrai mais investimentos. “O Estado e o Município têm que facilitar a vida dos investidores e não dificultar”, salientou.

Entre as principais demandas que David ouviu dos empresários foi a recuperação de inúmeros vias principais e secundárias do Distrito Industrial, a recuperação da sinalização e a presença de agentes de trânsito, nos horários de pico de entrada e saída dos trabalhadores do PIM. Segundo ele, há relatos entre trabalhadores da Yamaha que dão conta de que, na saída das 17h, os ônibus especiais ficam praticamente parados por conta da falta de coordenação do trânsito e da desaceleração dos veículos por conta dos buracos em avenidas como a Mário Andreazza.

“Hoje, a arrecadação que se gera no Distrito para o Estado e para o Município não justifica a atual situação das ruas, com falta de sinalização e fiscalização de trânsito. Não tem explicação a falta de diálogo da Prefeitura de Manaus com os investidores da Zona Franca. Como candidato a prefeito e falo do meu compromisso em dar o tratamento que o modelo econômico merece, como a infraestrutura que hoje assusta investidores e não ajuda em nada na geração de mais empregos na indústria”, apontou o candidato a prefeito de Manaus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: